Acerto Final / The Crossing Guard


[rating:3.5}

Anotação em 2004: Este filme, o segundo dirigido pelo ótimo ator Sean Penn, é muito bom e melhora na revisão. Esse Sean Penn é de fato uma figura admirável. O filme tem ainda uns poucos trejeitos de diretor novo, um ou outro preciosismo estilístico, e Jack Nicholson atua com os exageros de sempre no seu eterno e reincidente retrato de Jack Nicholson, mas isso é absolutamente marginal, pequeno, dentro do que o filme tem a dizer.

É um berro de alerta contra a tentação, cada vez mais comum nestas nossas sociedades que glorificam a violência, de se fazer a vingança com as próprias mãos. Difícil pensar em algo mais violentamente contra a corrente do conservadorismo da atual sociedade americana.

Nesse sentido – me ocorre agora, na hora de fazer uma anotação mínima sobre ele -, o filme é o oposto do que acaba conseguindo ser aquele lamentável, equivocado, imbecil, reacionário Entre Quatro Paredes, que desperdiça os talentos de Tom Wilkinson, Sissy Spacek e Marisa Tomei fazendo uma ode à vingança com as próprias mãos. Nos dois, o tema de fundo é o mesmo – a perda de um filho. 

Neste filme de Sean Penn, a filhinha do casal agora separado (interpretado pelo casal já então separado na vida real Jack e Anjelica Huston) foi morta atropelada por um motorista bêbado, que, quando a ação começa, está saindo da prisão. Enquanto a mãe tentou continuar a vida com novo casamento e sessões de terapia em grupo na esperança de saber conviver com a perda e a dor da perda, o pai lutou contra todos os sentimentos – à exceção do ódio do assassino. Conseguiu se desumanizar completamente. 

É interessante pensar que Sean Penn soube lidar bem com essa realidade terrível da perda do filho muito jovem. Ele lidou com esse tema delicado com o mesmo talento demonstrado pelo irlandês Jim Sheridan no mais recente In America, outro filme muito bom.

Acerto Final/The Crossing Guard

De Sean Penn, EUA, 1995

Com Jack Nicholson, Anjelica Huston, Dave Morse, Robin Wright Penn, Piper Laurie

Argumento e roteiro Sean Penn

Fotografia Vilmos Zsigmond

Música Jack Nitzsche

Produção Miramax

Cor, 111 min

Postar um Comentário

O seu email nunca é publicado ou compartilhado. Os campos obrigatórios estão marcados com um *

*
*