O Jardim das Rosas / The Rosegarden


Nota: ★★½☆

Anotação em 2003: O mais impressionante neste filme é que ele mostra clara e fortemente o quanto ainda existia na Alemanha, no povo alemão e na Justiça alemã, em 1985, época em que a ação se passa, de simpatia pelo nazismo e pelos nazistas – ou, no mínimo, no mínimo, de imensa vontade de não se revolver o passado.

E revolver o passado é exatamente o que este filme – baseado em fatos reais – faz. Aparentemente à toa, sem motivo qualquer, um senhor de idade (Maximilian Schell) agride um outro no aeroporto de Frankfurt; o agredido presta queixa à polícia, e uma advogada (Liv Ullmann) que assistiu à cena fará a defesa do agressor. Ela descobrirá que o agressor é sobrevivente de campo de concentração, e o agredido, o nazista que chefiava o campo. 

Liv Ullmann está envelhecida, assim como Maximilian Schell, que parece muito mais velho, em 1989, do que em filme recente, pós 2000, que vi outro dia, o Um Festival em Cannes.

O diretor Fons Rademakers é um veterano holandês, nascido em 1920, que foi assistente de Vittorio De Sica e Jean Renoir.

O Guia de Mick Martin & Marsha Porter diz que o filme tem 152 min, enquanto o Maltin diz 111 e a revista da Net, que exibiu o filme, diz 113. O Videobook 1996 diz que o filme saiu em vídeo no Brasil, pela Paris Filmes, com 95 minutos!

Na apresentação, aparece The Rosegarden, com uma palavra só, ao contrário do que dizem os guias, que grafam como The Rose Garden.

O Jardim de Rosas/The Rosegarden

De Fons Rademakers, Alemanha-EUA, 1989.

Com Liv Ullmann, Maximilian Schell, Peter Fonda

Cor, 111 min. (Ou 152?)

Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *