Estranha Compulsão / Compulsion


Nota: ★★★☆

Anotação em 2003: O filme se baseia na história real, acontecida em Chicago, na década de 1920, de dois amigos ricos, inteligentes, que resolvem matar por puro gosto de se sentirem acima do resto do mundo.

A mesma história inspirou Festim Diabólico/Rope, de Hitchcock, de 1948, e o bem mais recente Cálculo Mortal/Murder by Numbers, de Barbet Schroeder, de 2002, em que Sandra Bullock faz uma detetive que esconde um segredo do passado.

O filme tem boas interpretações, a direção de Richard Fleisher é muito competente, mas o que me pareceu absolutamente fascinante no filme é o personagem do advogado, interpretado por Orson Welles, e sua linha de argumentação em defesa de dois criminosos abjetos, nojentos, indefensáveis – um dos mais brilhantes panfletos contra a pena de morte que o cinema já mostrou.

Estranha Compulsão/Compulsion

De Richard Fleisher, EUA, 1959.

Com Dean Stockwell, Bradford Dillman, Orson Welles, E.G.Marshall,

Roteiro Richard Murphy

Baseado em peça de Meyer Levin

P&B, 103 min.

3 Comentários para “Estranha Compulsão / Compulsion”

  1. Assisti nesta madrugada.Ótimo filme,gostei demais.Rapaz,o Orson Welles faz sua primeira aparição quando já estamos com 01:08de filme.
    Mas,daí até o final foi puro brilho.Atuação maravilhosa.Concordo contigo,um advogado fascinante,todas as suas falas,sua linha de argumentação(como disseste),algo que me deixou babando.
    Só achei que chamar o Bradford Dillman de garoto,foi um pouco demais.O Dean Stockwell, até se aceitaría.
    Festim Diabólico e Cálculo Mortal,assisti estes dois filmes,muito bons.
    Posso estar enganado mas,notei que O Judd e o Artie tinham envolvimento homosexual.
    Apesar daquele discurso maravilhoso contra a pena de morte,eu não concordo.
    Não sei se vais entender Sergio,mas o crime do filme e,ESTUPRO E LATROCÍNIO(desculpe as maiúsculas)para mim,são crimes hediondos e merecem pena de morte.Aqueles dois crápulas mataram pelo simples prazer de matar.
    Na vida real,esses dois vermes,tiveram muita sorte tendo aquele advogado para defendê-los.
    Dá nojo só de lembrar . . .
    O filme repito, é ótimo.
    Abraço, Sergio !!

  2. Filme ótimo, elenco incrível, em especial O Orson Wells, que deveria ter ganho o Oscar de coadjuvante, mas sequer foi indicado.

Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *