Charlotte Gray, uma Paixão Sem Fim / Charlotte Gray


Nota: ★★½☆

Anotação em 2003:  Um filme bem feito, com reconstituição de época brilhante, fotografia perfeita, ótima música, Cate Blanchett dando um show e demonstrando que é uma das mais talentosas atrizes de sua geração. Mas…

Mas no fim você se pergunta por que, afinal, se gastou tanto talento com um filmezinho que não acrescenta absolutamente nada.

Cate Blanchett, australiana de nascimento e criação, faz uma inglesa que – por querer ficar perto do amante recém-conhecido e que vai para o front na França durante a Segunda Guerra -, aceita trabalhar para o governo inglês na ajuda à Resistência Francesa.

O filme não é ruim, em absoluto. Só me pareceu desnecessário.

A diretora Gilian Armstrong, nascida (em 1950) na Austrália, como a atriz, tem um longo currículo; fez filmes tanto em seu país natal (The Last Days of Chez Nous, de 1992) quanto nos Estados Unidos (Adoráveis Mulheres/Little Women, de 1994).  

Charlotte Gray, uma Paixão de Sem Fim/Charlotte Gray

De Gillian Armstrong, Inglaterra-Alemanha-Austrália, 2001.

Com Cate Blanchett, Billy Crudup, Michael Gambon

Roteiro Jeremy Brock

Baseado no livro de Sebastian Faulks

Música Stephen Warbeck

Produção Ecosse Films, FilmFour. Lançado em São Paulo 19/4/2002

Cor, 121 min.

Postar um Comentário

O seu email nunca é publicado ou compartilhado. Os campos obrigatórios estão marcados com um *

*
*