Corpo em Evidência / Body of Evidence


Nota: ★☆☆☆

Anotação em 2002: O personagem central é feito sob medida para a persona que Madonna quis incorporar, a mulher que vive para trepar. Ela faz o papel de Rebecca, a mulher que é presa acusada de ter matado o amante milionário.

Ele é encontrado morto por um ataque cardíaco com as mãos atadas à cabeceira da cama; junto do corpo a polícia acha cocaína e uma fita cassete dele com a amante, Rebecca, para quem ele deixou uma fortuna em seu testamento. Rebecca vai seduzir o advogado de defesa, interpretado por Willem Defoe. O elenco tem um monte de gente competente.

Vejo no Cinemania que houve uma edição sem cortes, com a censura máxima nos Estados Unidos (NC-17). Vendo com a perspectiva do tempo, dá para identificar que foi um dos filmes americanos que mais ousaram nas cenas de sexo no final dos anos 80 e ao longo dos 90 – normalmente thrillers -, ao lado de Instinto Selvagem, Atração Fatal, 9 e Meia Semanas de Amor, O Fio da Suspeita.

Corpo em Evidência/Body of Evidence

De Uli Edel, EUA, 1993.

Com Madonna, Willem Defoe, Joe Mantegna, Anne Archer, Julianne Moore

Argumento e roteiro Brad Mirman

Música Graeme Revell

Cor, 98 min.

Um Comentário

  1. José Luís
    Postado em 13 julho 2011 às 8:03 pm | Permalink

    A Madonna “ganhou” um Razzie para a pior actriz do ano.
    Já ganhou muitos outros destes prémios.
    Mas continua e agora até já realizou filme!

2 Trackbacks

  1. […] 1993, Uli Edel dirigiu, nos Estados Unidos, Corpo em Evidência/Body of Evidence, que eu considero um exemplo perfeito do quasepornô, aquele tipo de filme que se aproveita da […]

  2. […] vou logo dizendo: não sou fã de Madonna, nunca fui. Não que conheça bem seus discos: não conheço. Na verdade, nunca me interessei por […]

Postar um Comentário

O seu email nunca é publicado ou compartilhado. Os campos obrigatórios estão marcados com um *

*
*