Toni


Nota: ★½☆☆

Anotação em 2001: Interessante: não me lembro de ter lido em nenhum lugar que o Jean Renoir pode ser considerado um precursor do neo-realismo italiano. E certamente foi, como bem demonstra este filme de 1934: no humanismo forte, incontido; na quantidade de seqüências ao ar livre, nas ruas; no belo tratamento de gente humilde, pessoas comuns, do povo.

Interessante também – e, aqui, uma nota triste – como este filme é inferior ao dele que vi pouco antes, A Cadela/La Chienne, de 1931. Este aqui – a história de Toni, um trabalhador humilde, apaixonado por uma espanhola, que é acusado de ter matado o marido de sua ex-amante – é ingênuo, naïf, como uma pintura primitivista do interior brasileiro.

Toni/Toni

De Jean Renoir, França, 1934.

Com Charles Blavette, Celia Montalván,

Roteiro Jean Renoir

Argumento Jacques Levert

Produção Les Films Marcel Pagnol

P&B, 90 min.

Um comentário para “Toni”

Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *