Paixão Incontrolável / White Mischief


Nota: ★★☆☆

Anotação em 2000: O tema é aquele do qual Visconti tanto gostava: a decadência moral dos muito ricos numa sociedade em mudança. Baseia-se em episódio real, parece. São os riquíssimos ingleses gastando fortunas, trepando adoidado e se dopando no Quênia, enquanto a Europa se destruía na Segunda Guerra.

O filme é extremamente bem feito, transmite muito bem o ambiente doentio, mas o que mais impressiona, e impressiona tanto que nem dá direito pra ir fundo na história ou no clima, é a beleza estonteante de Greta Scacchi, uma coisa absolutamente fora de jeito.

O diretor Michael Radford, inglês nascido na Índia em 1946, tinha feito antes deste aqui a versão do livro de George Orwell 1984; em seguida faria O Carteiro e o Poeta.

La Scacchi desfilaria sua beleza em Bom Dia Babilônia, dos irmãos Taviani, naquele mesmo ano de 1987, e em 1990 seria a perfeita tradução da ambiciosa assistente de promotoria que tornaria um inferno a vida de Rusty Sabich (Harrison Ford), o personagem criado por Scott Turow em Acima de Qualquer Suspeita.

Paixão Incontrolável/White Mischief

De Michael Radford, Inglaterra, 1987.

Com Greta Scacchi, Sarah Miles, Joss Ackland, Charles Dance, Geraldine Chaplin, John Hurt, Trevor Howard

Roteiro Michael Radford e Jonathan Gems

Baseado em novela de James Fox

Música George Fenton

Cor, 107 min.

Um comentário para “Paixão Incontrolável / White Mischief”

Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *