Amor de Outono / Le Blé en Herbe


Nota: ★☆☆☆

Anotação em 2000, com complemento em 2008: Talvez a censura, ou a autocensura, tenha interferido na transposição para o cinema do início dos anos 50 uma história de Colette, envolvendo a iniciação sexual de um garoto de 16 anos por uma mulher beirando os 50. Dado esse desconto, o fato é que o filme é chato, e a profundidade dos personagens é a de um pires.

Como o espectador aqui sempre pode ter avaliado erradamente, vou atrás de outra opinião, e vejo que Pauline Kael, a crítica americana que via tudo quanto era filme europeu, gostou. Diz ela, que, obviamente, sabe muito mais que eu:

“A versão cinematográfica de Claude Autant-Lara da história de Colette trata o tema com bela simplicidade. O garoto de 16 anos (Pierre-Michel Beck) e a garota de 15 anos (Nicole Berger) são perturbados pelas emoções e impulsos que se desenvolvem neles; e é só depois que o garoto é iniciado por uma mulher mais velha (Edwige Feuillère) que os dois ficam juntos – ele passa para ela o que aprendeu. Feuillère transmite a posição dolorosa e degradante da mulher mais velha com um tato infinito (embora não para o resenhista de um jornal, que a descreveu como uma viúva negra à procura de uma presa.”

OK, Dona Pauline: tenho que ver o filme de novo.

Amor de Outono/Le Blé en Herbe

De Claude Autant-Lara, França, 1953.

Com Edwige Feuillère, Pierre-Michel Beck, Nicole Berger, Louis de Funès, Charles Dechamps.

Baseado em romance de Colette

P&B, 104 min.

3 Comentários para “Amor de Outono / Le Blé en Herbe”

Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *