Paixão Proibida / Jude


Nota: ★★★☆

Anotação em 1999: Pelo que posso me lembrar (li o clássico de Thomas Hardy há muitos, muitos anos), o filme é uma transcrição correta do livro, até mesmo respeitosa. Esse diretor Michael Winterbottom, muito novo, acho, tem sido muito elogiado – mas, ao contrário do que se poderia esperar, não faz nada “moderninho”. O estilo é clássico – o que seguramente é bem-vindo, depois dessas adaptações “moderninhas” tipo Romeu e Julieta, de Baz Luhrmann, e Grandes Esperanças, de Alfonso Cuarón.

Kate Winslet, pelo jeito, ainda não havia feito Titanic. Aliás, aparentemente, o que ela fez antes do estúpido sucesso do James Cameron foi este aqui e Razão e Sensibilidade – por coincidência, duas adaptações de grandes clássicos da literatura inglesa, dois filmes de época. De fato, este foi foi seu quarto filme. O primeiro foi Almas Gêmeas/Heavenly Creatures, de 1994; depois vieram A Kid in King Arthur’s Court e Razão e Sensibilidade, os dois 1995. Que extraordinário começo de carreira, a dessa moça, uma atriz talentosíssima.

O filme passou na Quinzena dos Realizadores de Cannes 1996.

Fui checar. Michael Winterbottom tinha 36 anos em janeiro de 1998; matéria de uma página na revista Studio diz que em 1997 “falava-se dele como o cineasta mais promissor da nouvelle vague inglesa”.  Botando em ordem: Jude é o terceiro longa-metragem do diretor, depois de Butterfly Kiss e Go Now, os dois de 1995; antes, ele havia dirigido filmes e episódios para a TV. Em seguida, faria Bem-Vindo a Sarajevo, de 1997, e Desejo Você/I want you, de 1998.

Paixão Proibida/Jude

De Michael Winterbottom, Inglaterra, 1996.

Com Christopher Eccleston, Kate Winslet, Liam Cunningham, Rachel Griffiths, June Whitefield

Música Adrian Johnston

Roteiro Hossein Amini

Baseado no romance Judas, o Obscuro, de Thomas Hardy

Produção Revolution Pictures, Polygram e BBC Films

Cor, 123 min.

8 Comentários para “Paixão Proibida / Jude”

  1. Oi! Gosto muito desse filme e a música é perfeita. Mas não consigo achar a música em lugar nenhum. Nem mesmo informações sobre a música (como o próprio nome dela) consegui encontrar. Será que vc poderia me ajudar com alguma informação que me leve até ela? Obrigado!

  2. Caro Benjamin,
    Numa rápida pesquisa, o que consegui saber foi que a trilha sonora do filme foi escriada por Adrian Johnston, co-fundador da banda Waterboys. A trilha sonora foi lançada – nos EUA e Inglaterra, claro – pela PolyGram, hoje Universal.
    Há pouca informação sobre o disco no AllMusic. Veja na página http://www.allmusic.com/album/jude-r241583.
    Um abraço.
    Sérgio

  3. Obrigado pela ajuda. Ainda não consegui encontrar o CD, mas vou procurar mais com as informações do site que vc passou.

    Valeu!

  4. É um filme muito denso e extremamente amargo.
    Môrno no comêço e aos poucos um filmaço.
    É aquela coisa: se hoje já não é fácil ir contra as regras da sociedade naquele tempo então …
    “Porque somos demais”. Essa frase e toda a cena onde ela está, é de partir o coração.
    Kate Winslet,não só por este mas,por todos os outros filmes, que môça talentosa e linda.
    Um final triste para um filme muito triste mas, também maravilhoso.
    Abraço, Sergio !!

Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *