O Flagrante


Nota: ★★½☆

Anotação em 1999: Bem intencionado, antimachista, honesto, corajoso. Tem ritmo irregular, por – foi o que achei – falta ainda de domínio na direção do bom ator Reginaldo Faria, embora ele já tivesse feito quatro filmes antes deste aqui; afinal, prática mesmo nesse metiê quem tem é seu irmão Roberto, que lá atrás, no início dos anos 60, fez o grande Assalto ao Trem Pagador. Mas é um filme acima da média, com frescor de juventude e afirmações a fazer.

É a história de um grupo de cinco amigos cariocas machistas, que dividem uma garçonnière; todos dão seus pulinhos, e exigem que as mulheres sejam submissas; a mulher do mais sensível deles – o personagem interpretado pelo próprio Reginaldo -, no entanto, devolve infidelidade com infidelidade. E a moral é perdoar. Um filme adiante do seu tempo, do qual eu nunca tinha ouvido falar. TV a cabo é um grande achado.

O Flagrante

De Reginaldo Faria, Brasil, 1975.

Com Reginaldo Faria, Cláudio Marzo, Carlos Eduardo Dolabella, Maria Cláudia, Grande Otelo, Antônio Pedro

Argumento Ronaldo Graça, Mariska Ribeiro, Paulo Veríssimo e Carlos Pedrosa

Roteiro Reginaldo Faria e Ronaldo G.M. Ribeiro

Diálogos Paulo Veríssimo

Cor, 100 min.

Postar um Comentário

O seu email nunca é publicado ou compartilhado. Os campos obrigatórios estão marcados com um *

*
*