De Bem com a Vida / Unhook the Stars


Nota: ★★★☆

Resenha para a Agência Estado, em 1997: O pai, John Cassavetes, foi o primeiro grande diretor americano a fazer filmes longe do esquema dos grandes estúdios no final dos anos 50. Foi endeusado pela crítica, especialmente a européia – embora, para o grande público, seja mais lembrado pelo principal papel masculino de O Bebê de Rosemary, de Roman Polanski. O cinema americano deve cada vez mais aos diretores que seguiram os passos de John Cassavetes e fazem filmes independentes.

Agora, o filho, Nick, estréia na direção – e se sai muito bem. De Bem com a Vida é inteligente, sensível, delicado, honesto – qualidades raras atualmente, no cinemão dos estúdios de Hollywood.

A mãe, Gena Rowlands, no esplendor dos 62 anos (ela é de 1934) é o maior brilho do filme. Mas isso não é demérito para o diretor. Ela rouba a cena em qualquer filme em que apareça; não poderia ser diferente nesse – que é dedicado a ela, conforme informa um letreiro no final: “To Lady”.

É um filme sobre família, relação familiar, relações afetivas. Mildred, a personagem central, intepretada por Gena Rowlands, fica sozinha na casa imensa deixada pelo marido morto. O filho preferido está casado, tem sucesso na profissão, se muda para longe. A filha preterida não se dá com a mãe, quer viver longe dela. No momento em que Mildred fica sozinha no mundo, entra em sua vida um garoto tímido, fechado, filho de um casal vizinho que vive em meio a brigas horrorosas (a mãe dele é interpretada por Marisa Tomei, espantosamente magra depois de um período em que apareceu bem cheinha em dois ou três filmes). Mildred ensina ternura e as primeiras sabedorias ao garotinho, e aprende com ele a dar novo valor às coisas da vida. Através da mãe do menino, Mildred conhece um caminhoneiro canadense (ninguém menos que Gérard Dépardieu), e com ele emoções que já imaginava mortas. Uma boa estréia do diretor. Um belo filme.

De Bem Com a Vida/Unhook the Stars

De Nick Cassavetes, EUA, 1996.

Com Gena Rowlands, Marisa Tomei, Gérard Dépardieu, Moira Kelly, David Sherrill. Jake Lloyd

Argumento e roteiro Nick Cassavetes e Helen Caldwell

Cor, 103 min.

2 Trackbacks

  1. […] a mãe, Gena Rowlands. Oito anos antes, em 1996, ele havia dedicado a ela seu primeiro filme, De Bem com a Vida/Unhook the Stars. É carinhoso, sensível – mas a trama toda é muito previsível e às vezes deixa a […]

  2. […] McMullen, e também um pouco a estréia do Nick Cassavetes, com a mãe, a grande Gena Rowlands, De Bem com a Vida/Unhook the Stars. Mas, sobretudo, faz lembrar demais o segundo filme dirigido pela menina Jodie Foster, com […]

Postar um Comentário

O seu email nunca é publicado ou compartilhado. Os campos obrigatórios estão marcados com um *

*
*