Atos de Amor / Carried Away


Nota: ★★★☆

Anotação em 1997: Este filme americano do carioca Bruno Barreto começa com uma cena em P&B, obviamente uma cena do passado: um garotinho, Joey, cai de um trator. Corta, e vemos Joey (Dennis Hopper) adulto, maduro, quase 50 anos de idade, sendo acordado pela mãe, para ordenhar as vacas. Corta, e vemos, numa panorâmica, feita numa grua, pessoas chegando de manhã a uma escola rural; Joey é um deles; de outro carro chega uma mulher madura com seu filho adolescente; Joey a cumprimenta, cumprimenta o garoto, entram na escola.

Corta para um plano seqüência; câmara dentro do corredor da escola, voltada para a porta de entrada; há duas portas laterais que dão para as salas de aula; Joey e Rosealee (Amy Irving), a mulher madura, conversam, enquanto os alunos vão entrando para as salas de aula; percebemos que são namorados, e professores na escola; eles entram para as salas; lá no fundo do plano, bem ao fundo, do lado de fora, pára um carro, uma garota loura (Amy Locane) desce, se aproxima da porta; quando chega na porta, há um brilho, uma luminosidade que impede o espectador de ver o rosto da garota que vai chegar como um terremoto nas vidas de Joey e Rosealee.

O lead é assim, brilhante. Como todo o filme.

É um filme sobre um momento de decisão na vida de um homem maduro, que se define como um professor medíocre e um fazendeiro pior ainda. Ele namora há seis ou sete anos Rosealee, uma viúva; todos querem que eles se casem, mas ele ainda não se decidiu; a escola em que dão aula está para fechar, e ele perderá o emprego e o que gosta de fazer; é autodidata, não tem faculdade (ao contrário dela); os alunos serão transferidos para escolas na cidade, a 90 km dali; ela continuará dando aula, mas o conselho escolar não permitirá que ele continue; ela tem uma boa fazenda, e deseja que ele a administre, após o casamento, mas ele não se decide; a mãe dele (interpretada pela Julie Harris, tão velha que não reconheci) está para morrer de câncer, ele terá que decidir o que fazer com a fazenda que não produz quase nada.

O destino, na forma da lolita loura, sensual e provocante que entra na sala de aula dele, vai acelerar as coisas, confundir tudo, levar a muito sofrimento e depois finalmente à pacificação.

Atos de Amor/Carried Away

De Bruno Barreto, EUA, 1995

Com Dennis Hopper, Amy Irving, Amy Locane, Gary Busey, Julie Harris, Hal Holbrook

Roteiro Ed Jones

Baseado no romance Farmer, de Jim Harrison.

Música Bruce Broughton

Fotografia Declan Quinn

Cor, 109 min.

2 Comentários

  1. Adilson Simoes de J.
    Postado em 24 setembro 2010 às 10:52 am | Permalink

    Bom dia, gostaria de saber se fosse possivel, onde eu possa abaixar o filme atos de amor desde ja o muito obrigado.

  2. Christianni Silva
    Postado em 16 maio 2011 às 7:54 pm | Permalink

    Olá boa noite, eu queria muito baixar esse filme, eu vi quando era criança, queria ter esse filme maravilhoso. Como posso baixar, desde já agradeço

2 Trackbacks

  1. […] Velvet, de 1986. O outsider Bruno Barreto fez dele o protagonista de um de seus mais belos filmes, Atos de Amor/Carried Away, de […]

  2. […] Velvet, de 1986. O outsider Bruno Barreto fez dele o protagonista de um de seus mais belos filmes, Atos de Amor/Carried Away, de […]

Postar um Comentário

O seu email nunca é publicado ou compartilhado. Os campos obrigatórios estão marcados com um *

*
*