A Última Prostituta / The Last Prostitute


Nota: ★☆☆☆

Anotação em 1997: Leonard Maltin classifica o filme, feito para a TV (embora nos letreiros esteja escrito screenplay, e não teleplay) como acima da média. E diz que é uma história agradável: “Agradável história do rito de passagem de dois adolescentes dos anos 60 que procuram uma lendária prostituta mas descobrem que ela não está mais no ‘negócio’ e agora dirige uma fazenda de cavalos. Carmen Culver faz um belo trabalho ao adaptar a peça pouca vista de William Borden.”

O Maltin estava com uma paciência de Jó. Na verdade, o filme é bem fraquinho, mas bem fraquinho demais da conta, com erros óbvios de direção e roteiro, do tipo que apresenta situações constrangedoras de quem simplesmente não domina a técnica da narrativa. Só um exemplo: o tempo está todo errado na cena, quase no final, em que um cigarro do garoto no feno provoca o incêndio que destrói o celeiro da fazenda. O garoto joga o cigarro lá, e vêem outras cenas, longas; aí, depois de um tempão, a câmara mostra de novo o cigarro lá; está começando a sair a primeira labareda. Um segundinho depois, e o fogo já está imenso.

É de sentir pena da Sonia Braga. Ela faz uma brasileira que foi puta de alto nível em Nova York, cansou-se, sentiu-se vazia, ganhou de presente de um príncipe cliente um garanhão de primeiríssima e decidiu viver em uma pequena fazenda junto de uma cidade mínima no interior do Texas.

 Se você não viu o filme, não leia a partir de agora

 Mas tem lá suas boas intenções, isso tem. Os dois amigos adolescentes são um o contrário do outro; um é sensível, o outro é um bruto. O personagem de Sonia Braga expulsa o pobre de espírito e presenteia no final o sensível com a iniciação amorosa que eles tinham ido buscar desde o início do filme. No final feliz, improvável e impossível, o garoto dá uma lição de moral no filho do fazendeiro rico e ele volta para a ex-puta, mesmo tendo sabido (através do adolescente pobre de espírito) do seu passado.

A Última Prostituta/The Last Prostitute

De Lou Antonio, EUA, 1991.

Com Sonia Braga, Wil Wheaton, Woody Watson, Dennis Letts, Cotter Smith

Roteiro Carmen Culver

Baseado na peça de William Borden

Cor, 93 min

2 Comentários

  1. Postado em 13 maio 2011 às 10:42 pm | Permalink

    maravilhosa a atuação de sonia braga deveriam lancar em dvd para que pudessemos obtelo ficaremos no aguardo parabens aos produtores e pela escolha sempre certa dessa grande atriz brasileira.

  2. Heberton arduini
    Postado em 25 junho 2012 às 9:15 pm | Permalink

    Filmaço, lembro me dele nas madrugadas da Globo, junto com “Verão de 42″, “Quando os Jovens tornam se adultos”, “A ultima sessão de cinema” e “American Grafitti”. Se não chega a ser cults como estes é ao menos uma pequena perola esquecida,

Postar um Comentário

O seu email nunca é publicado ou compartilhado. Os campos obrigatórios estão marcados com um *

*
*