Poderosa Afrodite / Mighty Aphrodite


Nota: ★★★★

Resenha para a revista Bárbara, em 1996: Sem Mia Farrow, Woody Allen voltou a achar graça na vida – e nós saímos ganhando. Em Poderosa Afrodite, ele brinca com o tema predileto da sua ex-mulher (e que os levou à separação tumultuada e escandolosa), a adoção de filhos. O próprio diretor faz o papel de um escritor cuja mulher insiste em adotar uma criança recém-nascida; quando o garoto se demonstra um superdotado, inteligentíssimo, o pai não resiste à curiosidade de descobrir quem é a mãe biológica. A busca por ela, mais tarde o encontro, as muitas surpresas que vêm depois, tudo é hilariante, escrachado – e inteligente. Woody Allen mistura música grega para turista, heróis da mitologia, figuras da psicanálise e um engraçadíssimo coro como os de teatro clássico da Grécia antiga para falar de destino, tragédia, sentido da vida. A cena final, um brilho puro, dá vontade de aplaudir de pé.

 Anotação pessoal em 1996: Maravilha. Woody Allen usa música grega pra turista e um engraçadíssimo coro de tragédia grega tradicional para falar de destino, tragédia, o que é a vida, paternidade, adoção. Segundo filme, junto com Tiros na Broadway, depois da separação de Mia Farrow, e segunda comédia escrachada de novo, como antes da fase Bergman. Não que a fase Bergman seja pior. É só que, sem Mia Farrow, ele voltou a gostar da vida.

É brilho puro a ironia final, o encontro do personagem dele com o de Mira Sorvino, numa loja, um templo do consumo, ele pai do filho dela, ela pai do filho dele, e o coro da tragédia grega falando que a vida é assim, estranha, esquista, mas boa.

Poderosa Afrodite/Mighty Aphrodite

De Woody Allen, EUA, 1995.

Com Woody Allen, Mira Sorvino, F.Murray Abraham, Helena Bonham Carter, Claire Bloom, Olympia Dukakis, Jack Warden

Argumento e roteiro Woody Allen

Cor, 95 min.

3 Comentários

  1. José Luís
    Postado em 30 maio 2011 às 1:59 pm | Permalink

    Ora aqui está um filme de Woody Allen de que eu gostei, o último. Depois deste acho que só vi “Match Point” e já me esqueci do que vi.

  2. Ivan
    Postado em 3 setembro 2013 às 1:06 pm | Permalink

    Fiquei de dar minha opinião sôbre este nono filme que vi do gênio Allen ontém, mas não deu; então faço agora.
    Digno de 4 estrelas.
    Exatamente como dizes,aquele final é soberbo.
    S P O I L E R
    Pelo menos eu imaginei que o Lenny ficaria com a Linda e ele diria para ela que o menino era seu filho mas , foi aí que Allen fugiu do clichê e fez aquele final. Gênio!!!
    Delicia de filme, maravilhoso.
    Aquela neurose tôda para escolher um nome para o bebê e aí, me lembro que alguém disse certa vez, “Não me canso de admirar Allen e sua mente genial e neurótica” .
    Ele e o filho , “Quem é o chefe ? Eu sou o chefe, sua mãe toma as decisões”. Verdadeiro Allen . . .
    A participaçao do coral grego – coisas de Allen, coisas de gênio.
    ” A vida não é irônica ? ”
    ” A vida é inacreditável. . .”
    ” Milagrosa, triste, maravilhosa ”
    ” De tôdas as fraquezas humanas, a obsessão é a mais perigosa . . . e a mais tôla” .
    ” Voce não tem medo que um cara vá até sua casa,te pegue,te amarre e depois te mate? Não, sempre cobro adiantado ” . Ela é loura e, aí . . .
    Sergio , alguma vez voce fez uma aposta nos ” cavalinhos ” ? O cavalo que o Lenny apostou era o favorito e, por isso só pagou 0,40$ e ele aposta no placé . . . coisas de Allen .
    Uma observação: Li que a Mira Sorvino ganhou o Oscar de melhor atriz coadjuvante por este filme. Tudo bem, ela está de fato, muito bem mesmo como a Linda Ass. Mas, a Kate Winslet em “Razão e Sensibilidade” ter perdido para ela, não achei muito justo, não. Enfim . . .
    Tá lá no filme, ” A X… Encantada ” .
    Maravilha de filme e, mais uma vez, com um final soberbo .
    Viva Woody Allen !!!!!!!
    Um abraço ! !

  3. Ivan
    Postado em 3 setembro 2013 às 1:34 pm | Permalink

    Perdão , minha opinião já foi longa mas esqueci de uma coisa.
    Mais uma vez como nos filmes de Allen uma trilha sonora com músicas lindas.
    ” I’ve Found a New Baby”
    ” Take Five ” com o grande Dave Brubeck.
    ” Walking my Baby Back Home ”
    ” You Do Something To Me ”
    ” When Your Lover Has Gone ” , também está em “Para Roma Com Amor” .
    ” Manhattan ”
    Lindo, muito lindo ! !
    Obrigado, um abraço !!

5 Trackbacks

  1. […] Farrow –, e já havia voltado à velha e excelente forma de comédias gostosas, escrachadas, como Poderosa Afrodite, de 1995, e Todos Dizem Eu Te Amo, de […]

  2. […] de diversos gêneros, com belas interpretações: Retorno a Howards End, Uma Janela para o Amor, Poderosa Afrodite… Na vida real, foi durante cinco anos a sra. Kenneth Branagh, que já havia tido a sorte na […]

  3. […] Hall, Isaac Davis em Manhattan, Sandy Bates em Memórias, Mickey em Hannah e Suas Irmãs, Lenny em Poderosa Afrodite, Joe Berlin em Todos Dizem Eu Te Amo, para dar só alguns exemplos –, o personagem é sempre o […]

  4. […] Já botou atores de tragédia grega tentando alertar seu personagem sobre os perigos do destino, em Poderosa Afrodite (1995). Já botou morto para conversar com os vivos, em Scoop – O Grande Furo […]

  5. […] jovens e lindos em 1999, o ano de lançamento do filme. Mira, Oscar de atriz coadjuvante por Poderosa Afrodite (1995) de Woody Allen, tinha então 32 anos, mas aparentava ainda menos, com aquela baby face linda […]

Postar um Comentário

O seu email nunca é publicado ou compartilhado. Os campos obrigatórios estão marcados com um *

*
*