Priscilla, a Rainha do Deserto / The Adventures of Priscilla, Queen of the Desert


Nota: ★★★☆

Anotação em 1995, com complemento em 2008: Uma delícia de comédia-musical-road movie. O filme é um panfleto – alegre, debochado, descarado, prazeroso – contra todos os preconceitos e os reacionarismos comportamentais.

Para participar de uma apresentação-concurso, duas drag-queens e um transexual atravessam a Austrália de ônibus, a Priscilla do título,  um ônibus que serve de dormitório e, sobretudo, camarim para que os seus três ocupantes se maquilem e troquem de roupa – e as roupas são sempre espalhatosas, com mais cores que a bandeira brasileira, sapatões plataformas e calças boca de sino ao extremo.

O inglês Terence Stamp, ícone de filmes-chave dos anos 60 e 70, O Colecionador e o Teorema de Pasolini inclusive, está genial, aos 55 gloriosos anos, como a transexual – e, é preciso admitir, foi uma puta coragem dele aceitar o papel. O australiano Guy Pearce ainda não era muito conhecido na época em que o filme foi feito, mas depois participaria de vários bons filmes, inclusive Los Angeles Cidade Proibida, como um policial inteligente formado em escolas que enfrenta o policial durão das ruas interpretado pelo também australiano Russell Crowe – não poderia haver um papel mais diferente do que o da drag-queen deste filme aqui.

A trilha sonora é cheia de músicas bregas da época da discotheque, tipo I Will Survive, com Gloria Gaynor, e um monte de babas do grupo sueco Abba, pelo qual os personagens têm devoção.

A fotografia é esplêndida, cheia de belíssimas tomadas do interiorzão da Austrália. A seqüência em que as três dançam à noite, à luz de fogueiras, diante de um grupo espantado de aborígenes, é de grande beleza. Choque cultural é isso aí.

Priscilla, a Rainha do Deserto/The Adventures of Priscilla, Queen of the Desert

De Stephan Elliott, Austrália, 1994

Com Terence Stamp, Hugo Weaving, Guy Pearce, Bill Hunter

Argumento e roteiro Stephan Elliott

Música Guy Gross

Cor, 104 min

2 Trackbacks

  1. Por 50 Anos de Filmes » Mamma Mia! em 24 março 2010 às 12:45 am

    […] apenas uma faixa cantada pelos quatro suecos, justamente Mamma Mia!, que está na trilha sonora de Priscilla, a Rainha do Deserto, o filme australiano sobre drag-queens que atravessam o país em um ônibus muito doidão. Nunca […]

  2. Por 50 Anos de Filmes » Bons Costumes / Easy Virtue em 9 agosto 2010 às 3:45 pm

    […] variados estilos. Dirigiu apenas cinco, num período de 15 anos. Seu segundo filme foi o ótimo Priscilla, a Rainha do Deserto, um road movie sobre um troupe de drag queens que atravessa a Austrália. Antes deste Bons […]

Postar um Comentário

O seu email nunca é publicado ou compartilhado. Os campos obrigatórios estão marcados com um *

*
*